top1

 

Ovelhinha desgarrada

dema



No azul de infinito iluminado ao sol da tarde
desliza uma ovelhinha desgarrada.
Seu rebanho de algodão quiçá encubra o céu do oceano.
Aqui, feliz, parece, ela se vai sem plano “esmando”,
sem tempo de sentir a solidão...
O vento a desfaz.
Novamente o azul celestial invoca o incerto, o desconhecido.
No solo, bico ante pé, pé após bico,
a rolinha detona os incautos insetos sobre a grama.
Papo cheio, sobe à trave em busca do ninho.
No balanço da folha da palmeira
a orquídea tenta desabrochar segunda flor.
A vida para a ver o parto...
depois segue com a brisa fresca e fugaz.
Tudo apraz.
Meu coração dispara. Percebo que, de igual modo,,
minha vida passa.
A diferença é que sem graça.
Se eu pudesse, saltaria no infinito.
Pode ser que nem sentisse me esvaindo em brisa astral
no me juntar à ovelhinha desgarrada.

 

 

...

 

 

ovelha

 

orquidea

direitos autorais de demasilva